Alvalade gira à volta de Paulinho: As notas do Sporting-Famalicão

O avançado dos leões marcou nas três primeiras rondas do campeonato.
Paulinho

O Sporting venceu, este domingo, em Alvalade, o Famalicão, por 1-0, num duelo relativo à 3.ª jornada da I Liga.

Os leões completaram o pleno de triunfos e já somem nove pontos, partilhando a liderança com o Vitória SC e à espera do que fará o FC Porto em Vila de Conde esta segunda-feira.

Os pupilos que já não perdem há 17 jogos na Liga (o que equivale a meio campeonato), tendo voltado a rubricar o triunfo à boleia de Paulinho. Aliás, o internacional português marcou nas três rondas e já contabiliza quatro tentos, sendo que os outros dois da conta verde e branca são de Gyokeres.

A dupla luso-nórdica voltou a ser mortífera e um cabo das tormentas para o conjunto minhoto, apesar da falta de acerto que faltou no último passe durante a primeira parte. Os compassos afinaram-se na etapa complementar e Paulinho, de cabeça, acertou o eixo no marcador.

O Famalicão nunca foi rival demasiado incómodo e com o passar dos minutos foi perdendo fôlego ofensivo. Geny Catamo, que entrou no decorrer da etapa complementar, foi ‘turbo renovado’ no jogo adiantado dos leões e Hjulmand, na sua estreia a titular, já se começa a assumir um baluarte no meio-campo verde e branco.

Vamos então às notas de destaque desta partida:

Figura

Marca, marca e marca. Não se cansa de conjugar o verbo marcar e Paulinho, jogo após jogo, vai sorrindo cada vez mais. Época nova, votos renovados e um avançado que respira cada vez mais confiança em Alvalade.

Surpresa

Não marcou, mas é uma enorme dor de cabeça para qualquer defesa rival. Rematou por diversas ocasiões, dois desses ‘tiros’ foram enquadrados com a baliza de Luiz Júnior. É um ‘tanque’ sem travões a progredir com a bola e praticamente exímio nos passes de ruptura. Paulinho não podia querer melhor companheiro para a nova época.

Desilusão

Esteve 59 minutos em campo e pouco se deu por ele. Alexandru Dobre foi figura quase inexistente no jogo do Famalicão e pouco acrescentou à ‘asa direita’ do conjunto minhoto.

Treinadores

Rúben Amorim não fez alterações ao intervalo e certamente não tinha motivos para as fazer. O acerto que faltou na primeira parte regressou para os 15 minutos iniciais da etapa complementar, em que Pedro Gonçalves começou por estalar uma bola ao poste e na jogada seguinte Paulinho cabeceou para o triunfo. A entrada de Catamo trouxe ainda mais irreverência a um leão que, este domingo, por poucas vezes encolheu as garras.

João Pedro Sousa vinha com a tarefa de surpreender o leão, à semelhança do que tinha feito em Braga, mas, raramente, ganhou nos duelos a meio-campo. A espaços ainda se viu o conjunto minhoto a ameaçar a baliza de Adán, mas foi sol de pouca dura. 

Árbitro da partida

André Narciso não teve uma arbitragem nada fácil em Alvalade. Se no critério técnico nem sempre esteve apurado, também no critério disciplinar não acertou ao não mostrar o segundo cartão amarelo a Gyokeres ainda na primeira parte.

Deixar uma resposta

O seu endereço de correio electrónico não será publicado. Os campos obrigatórios estão assinalados com *