Sporting dá ‘baile’ e vai à Luz… a olhar para baixo

Leões venceram o Tondela em Alvalade e mantêm liderança na I Liga.

1
0

O Sporting recebeu e venceu o Tondela neste domingo por 2-0. Os leões entraram bem na partida e, apesar de terem visto os beirões crescer, dominaram a partida.

A primeira parte abriu com golo do Sporting, aos 10 minutos, por intermédio de Sarabia, depois de uma grande jogada coletiva.

A segunda parte começou novamente com golo leonino. Nova jogada bem construída pela equipa e Paulinho marcou para fechar o resultado.

Com este resultado, os leões seguem na liderança do campeonato, agora com 32 pontos, não sabendo ainda se terão de partilhá-la com o FC Porto que também entra em campo neste domingo. O Tondela fica na 10.ª posição, com 12 pontos.

Filme do jogo

Que momento vive o Sporting. Depois de uma qualificação inédita para os ‘oitavos’ da Liga dos Campeões, o leão recebeu o Tondela no seu salão de festas e bailou ao som das palmas e dos cânticos dos seus adeptos. Os verdes e brancos somam agora 11 vitórias seguidas em todas as competições e cumpriram aquilo que Rúben Amorim sugeriu: ganhar para não estragar a boa fase. O Tondela teve várias contrariedades antes da partida, ficando privado do treinador, Pako Ayestarán, e de vários jogadores, perdendo no próprio dia do jogo o defesa Ricardo Alves. Apresentou-se atrevido, cuidou muito bem da bola durante a primeira parte, mas não teve mão para segurar o leão.

O Sporting teve um arranque de jogo fulminante. A todo o gás, os leões chegaram múltiplas vezes à baliza de Trigueira logo nos primeiros cinco minutos, mas poucas vezes assertivos. A melhor oportunidade surgiu dos pés de Matheus Nunes, que fugiu de Pedro Augusto no lado esquerdo do ataque leonino e, já dentro da grande área, quis jogar para o centro, onde estaria Paulinho para finalizar. A jogada acabou cortada por Sagnan.

Notava-se perfeitamente o momento vivido pelo atual campeão nacional, que usou a vitória do meio da semana frente ao Borussia Dortmund para se motivar para a partida deste domingo. A equipa trocou bola como poucas costumam fazer, jogou com uma intensidade impressionante e deu espetáculo.

O primeiro golo da partida foi um autêntico ‘chocolate’ dos leões na equipa da beira. A bola seguiu do centro para a esquerda, voltou ao centro, passou para a direita, tudo bem medido, bem planeado e intencional, com passe curto e rápido. Entre várias passes, surgiu um espaço na grande área para Sarabia finalizar e abrir o marcador ainda cedo no jogo, aos 10 minutos. Ainda se pediu fora de jogo, mas o vídeo-árbitro não quis deitar fora a obra de arte que tinha sido feita.

A resposta do Tondela surgiu logo a seguir. Dadashov marcou um livre que não passou muito longe da baliza de Adán. O espanhol desviou-a com os olhos. Seria uma das oportunidades de ouro dos tondelenses na primeira parte, que foram ameaçando quando conseguiam chegar perto da baliza leonina. Aos 25 minutos, Neto roubou um golo cantado a Jhon Murillo, sendo aplaudido em Alvalade como se tivesse marcado o segundo dos leões. Coates teve de puxar as orelhas aos seus colegas, pondo ordem na casa quando o Sporting perdia bolas de forma displicente no seu meio campo.

Até ao intervalo, os verdes e brancos não conseguiram jogar pelo meio. Forçados a jogar pelas alas, foram construindo as suas jogadas por Nuno Santos e Sarabia, principalmente, mas a defesa do Tondela fechou-se bem no centro e não lhes permitiu o segundo golo. A pausa no jogo chegou em boa hora, quando o Sporting já atirava bolas pela linha lateral sem critério. Pedro Gonçalves também esteve aquém nos primeiros 45 minutos. Sempre meio escondido e tapado pela defesa e por Tiago Dantas, que foi atrás dele para todo o lado, o avançado leonino esteve longe de zonas de finalização e pouco ativo na construção e nas desmarcações nas costas da defesa que são características dele.

O intervalo foi mesmo remédio santo para as aspirações do Sporting. Os leões voltaram ainda mais competentes que na primeira parte e o segundo golo chegou novamente com um trabalho de equipa incrível. Sarabia levou a bola à esquerda, entregou a Pedro Gonçalves que, depois de estar apagado, lá apareceu para entregar ao meio a Paulinho, que acabou a seca de golos na I Liga. Alvalade ganhava nova vida e a equipa não tirava o pé do acelerador. O Tondela começava a apresentar dificuldades para passar o meio campo e quando o passava tinha atrás de si uma multidão para roubar a bola.

O jogo ganhou novamente intensidade e Rúben Amorim foi inteligente ao começar a poupar. Matheus Nunes foi o primeiro, ele que já tinha apresentado queixas depois de correr para defender e atacar, acabou substituído por Daniel Bragança. Pouco depois, quando o jogo estava confortavelmente controlado, entraram Tiago Tomás, Manuel Ugarte e Flávio Nazinho para os lugares de Pedro Gonçalves, João Palhinha, que saiu queixoso, e Nuno Santos. Procurava-se refrescar a equipa e Amorim encontrou soluções competentes para o resto do jogo. Nazinho acabou por ser destaque.  Depois de a meio da semana estreou na Liga dos Campeões, foi lançado e mostrou qualidade e compostura no meio de gente grande. O último foi Paulinho, que deu a vez a Tabata. O brasileiro mostrou uma vontade enorme e rematou logo à baliza. Ainda assim, o resultado estava mais que selado.

Vale este resultado para o Sporting reforçar o seu estatuto e bater o pé frente ao FC Porto, com quem tem disputado a liderança da I Liga, até então partilhada. Serve ainda este jogo para motivar a equipa, não para o encontro frente ao Ajax, que já não serve de grande coisa, mas sim para o dérbi que se avizinha e que se revela importante para as intensões dos leões na época.

O momento: A lesão de Palhinha, que deixou Alvalade em alerta. O médio do Sporting saltou na grande área para cortar um livre batido pelo Tondela, mas no momento da queda prendeu o pé na relva e deu um jeito ao músculo. Em grandes dificuldades, deixou o relvado, visivelmente abatido, e passou o resto da partida com gelo na zona posterior da coxa da perna direita. Será preciso esperar para saber em que estado ficou João Palhinha e se terá condições de jogar frente ao Benfica.

Onzes iniciais

Sporting: Adán, Coates, Neto, Inácio; Esgaio, Palhinha, Matheus Nunes, Nuno Santos; Pedro Gonçalves, Sarabia, Paulinho.

Tondela: Trigueira; Tiago Almeida, Sagnan,  Pedro Augusto, Khacef; Iker Undabarrena, João Pedro, Tiago Dantas; Jhon Murillo, Rafael Barbosa, Dadashov.

Antevisão

O Sporting vai receber o Tondela neste domingo, a contar para a 12.ª jornada da I Liga.

Os leões vêm motivados da vitória frente ao Borussia Dortmund que garantiu a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões precisamente em Alvalade, palco do jogo da tarde deste domingo. O Tondela, apesar de poder trazer alguma motivação na bagagem para a capital, não poderá contar com o treinador Pako Ayestarán e alguns dos seus jogadores, todos infetados com Covid-19. Ainda assim, os beirões prometem luta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*

code