‘Pedroeuros’ no cofre de Alvalade: As notas do Sporting-Borussia Dortmund

Leões fizeram o que lhes competia e estão de volta aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, o que já não acontecia desde 2008/09.

4
0

O Sporting viveu, esta quarta-feira, uma das grandes noites europeias da sua história, que culminou com uma vitória sobre o Borussia Dortmund, por 3-1, e consequente apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, onde já não chegava desde 2008/09.

Os alemães tiveram sempre mais bola (com exceção dos cinco primeiro minutos), mas não souberam contrariar aquele que é já um ‘leão feito’, que soube “compreender todos os momentos do jogo”, tal como Rúben Amorim disse, já na zona de entrevistas rápidas.

Os verde e brancos, não só souberam sofrer, como também souberam ter a acutilância necessária para marcar nos momentos mais críticos, como sucedeu na primeira parte, em que, sob ‘cerco’, viram Pedro Gonçalves marcar dois golos em nove minutos.

Já no segundo tempo, o cenário complicou-se de sobremaneira, uma vez que os visitantes, cientes de que o resultado os atirava para fora da próxima fase da prova milionária, subiram ainda mais as linhas, ainda que sem criar grande perigo.

Foi aí que a ‘estrelinha’ voltou a brilhar. Emre Can, que entrou para o lugar de Nico Schulz, perdeu a cabeça, agrediu Pedro Porro e foi expulso. Instantes depois, Dan-Axel Zagadou, que rendeu Reinier, cometeu uma grande penalidade sobre Paulinho.

Pote perdoou à primeira, mas, no ressalto, Pedro Porro cabeceou para o fundo das redes. Os forasteiros ainda ‘assustaram’, quando Donyell Malen marcou, mas, uma vez mais, os homens da casa cerraram linhas e garantiram o resultado de que precisavam.

O Sporting, segundo classificado do Grupo C, passou, assim, a somar nove pontos, mais três do que o terceiro, o Borussia Dortmund, adversário sobre o qual tem vantagem no confronto direto, quando resta apenas uma jornada por disputar.

O Ajax segue para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões como cabeça de série, com 15 pontos conquistados em 15 possíveis, na companhia dos leões. O Borussia Dortmund ‘cai’ para a Liga Europa, e o Besiktas, que continua a ‘zeros’, diz ‘adeus’ às provas continentais.

Figura

Não há Sebastián Coates, há Pedro Gonçalves. O internacional português está, uma vez mais, numa incrível série de goleadora, tendo já feito o gosto ao pé por sete vezes nos quatro últimos jogos. Os dois últimos ‘mataram’ o Borussia Dortmund e colocaram o Sporting entre as 16 melhores equipas do futebol europeu, com o respetivo encaixe financeiro milionário que isso acarreta.

Surpresa

Sem nunca encantar, Matheus Reis continua a revelar-se uma opção válida na ala esquerda da defesa do Sporting, numa altura em que Rúben Vinagre ainda recupera das ‘mazelas’ psicológicas deixadas pelo ‘descalabro’ diante do Ajax. Uma exibição competente do brasileiro, que continua a ganhar pontos nas contas de Rúben Amorim.

Desilusão

Uma distinção que não pode ir para outro jogador que não Emre Can. O internacional alemão entrou ao intervalo para corrigir o desempenho desastroso de Nico Schulz, mas conseguiu fazer ainda pior. Numa altura em que o Borussia Dortmund pressionava em busca do 2-1, o experiente médio perdeu a cabeça e viu o cartão vermelho direto, acabando de vez com as esperanças dos alemães.

Treinadores

Rúben Amorim: Menos de dois anos depois de chegar a Alvalade, o treinador colocou este Sporting em ‘ponto de rebuçado’. Diante do ‘todo-o-poderoso’ Borussia Dortmund, a equipa soube ter bola quando pôde, soube sofrer quando teve de sofrer e soube ‘matar’ o jogo, apesar da ligeira ‘tremideira’ já no final, que os adeptos dispensavam por completo.

Marco Rose: O Borussia Dortmund foi muito pressionante durante os 90 minutos, mas raras foram as vezes em que, efetivamente, colocou apuros ao Sporting. Erling Haaland faz (muita) falta, mas não justifica tanto cruzamento desnecessário para a grande área, que Gonçalo Inácio, Sebastián Coates e Zouhair Feddal foram ‘limpando’ com maior ou menor dificuldade.

Árbitro

Carlos del Cerro Grande não teve, propriamente, uma noite complicada, mas acertou quando chegou a altura de tomar as principais decisões da noite. O cartão vermelho direto exibido a Emre Can por agressão a Pedro Porro não merece qualquer tipo de contestação, assim como a grande penalidade assinalada a favor do Sporting, por falta de Dan-Axel Zagadou sobre Paulinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*

code