UEFA defende decisão de adiar desafio do Borussia após críticas

Alvos de um ataque à bomba, uma derrota no jogo menos de 24 horas depois a contestação.

A UEFA defende a decisão de ter adiado para o dia seguinte o desafio entre o Borussia Dortmund e o Mónaco para a Liga dos Campeões após o incidente com três engenhos explosivos que feriram um dos jogadores da equipa alemã.

“A decisão de jogar o encontro hoje às 18:45 [de quarta-feira] foi tomada na última noite no estádio do Borussia Dortmund em cooperação e acordo total dos clubes e autoridades”, disse o diretor de comunicação da UEFA, o português Pedro Pinto, à Associated Press.

O treinador do Borussia mostrou o seu desagrado pela decisão da entidade máxima do futebol Europeu.

Thomas Tuchel explicou que ficaram com a “sensação de terem sido tratados como se apenas tivessem sido vítimas do arremesso de uma lata de cerveja. Meia hora mais tarde a decisão estava tomada para o jogo ter lugar no dia seguinte. E nessa altura era pouco clara a seriedade do ferimento de Marc Bartra e o que esteve por detrás do incidente e isso dá-nos uma sensação de impotência”, salientou.

No ataque, um polícia também ficou ferido, para além do jogador da equipa alemã.

A chanceler Angela Merkel reagiu ao ataque. “Estamos todos de acordo de que se trata de um crime repugnante. A procuradoria federal e todas as autoridades de investigação estão a fazer tudo o que é possível para esclarecer este crime o mais rapidamente possível”, disse.

As autoridades seguem uma pista islâmica. Depois de rusgas a dois apartamentos, um iraquiano de 25 anos ficou detido e um alemão de 28 foi libertado depois de questionado.

Fonte: Euronews




Deixar uma resposta