Suíça expande embargo a 21 frigoríficos

O governo suíço decidiu ampliar o embargo contra a entrada da carne brasileira para 21 frigoríficos. A declaração foi feita pela porta-voz do Departamento Federal de Veterinária e Segurança Alimentar (BLV, na sigla em alemão) no domingo após questionamento da agência de notícias SDA.

A limitação envolve apenas as empresas sob suspeita. A proibição total é desproporcionada e, por conseguinte, não é uma opção.
Na última sexta-feira (24.03), as autoridades declararam embargo da importação de carne de quatro empresas brasileiras. A ampliação da medida ocorreu, segundo o BLV após conversações com a União Europeia, que havia anunciado anteriormente a mesma decisão.

O governo suíço afirmou também que os controles sanitários foram reforçados. Para tal, foram convocados os serviços veterinários para inspecionar nas fronteiras a entrada de carne brasileira. Segundo o órgão, até então não foram encontradas amostras de carne deteriorada em postos de venda na Suíça.

Campanha diplomática

China, Egito e Chile, que estão entre os seis grandes compradores de carne bovina do Brasil, anunciaram no fim de semana o fim do embargo geral para importação. Porém a suspensão não se aplica aos 21 produtores suspeitos.

A atenuação das medidas tomadas contra a importação da carne brasileira foi precedida por intensos esforços diplomáticos. O governo brasileiro pediu à Organização Mundial do Comércio (OMC) que interceda contra restrições “arbitrárias” de importação nos 163 países-membros.

O governo brasileiro lançou uma campanha para restaurar a reputação da indústria da carne no país, lembrando que das quatro mil empresas atuantes no processamento de carne, apenas 21 estão envolvidas no escândalo.

Dos 11.000 funcionários do ministério brasileiro da Agricultura, apenas 33 são acusados de envolvimentos em práticas de adulteração. Dos 853 mil volumes de carne exportados, 184 apresentaram suspeitas de manipulação.

Prisões e demissões

Agentes públicos teriam sido subornados para permitir a venda de carne estragada. A agência de proteção ao consumidor no país solicitou um recall dos produtos. Até então, 30 pessoas sob suspeita foram detidas e três empresas fechadas.

A empresa JBS, uma das maiores do setor, anunciou na quinta-feira (23.03) a paralisação do funcionamento de 33 dos seus 36 frigoríficos. Duas outras empresas anunciaram a demissão de 280 funcionários.

O Brasil é o maior exportador de carne de boi do mundo. O volume de negócios anual com a exportação de carne é de 12 bilhões de dólares.

Fonte: Swissinfo




Deixar uma resposta