Quão brilhante é Bernardo Silva?

Pensou desistir do futebol, mas agora é um dos mais promissores jogadores europeus: conheça melhor Bernardo Silva, do Mónaco, semifinalista da UEFA Champions League.

Portador da magia típica do futebol de rua, Bernardo Silva tem um pé esquerdo prodigioso e um estilo de jogo enebriante e é um dos destaques da boa época do Mónaco, semifinalista da UEFA Champions League. O UEFA.com avalia a ainda curta carreira do médio de 22 anos, internaciona por Portugal e que se prepara para voos mais altos.

O que dizem dele
“O Bernardo está mais maduro. É um jogador importante para o grupo, com qualidade, e estamos muito contentes com a sua evolução e as exibições que está a fazer”.
Leonardo Jardim, treinador do Mónaco

“O Bernardo Silva chegou aqui como desconhecido, mas desde a primeira temporada que vem evoluindo muito e nesta está a ter um destaque extraordinário. Tem um futuro fantástico pela frente e tudo para ser um jogador de top mundial”.
Fabinho, médio do Mónaco

“O Bernardo teve um desenvolvimento bastante rápido e acho que beneficiou muito do facto de ter ido jogar para o Mónaco. É tremendo com a bola nos pés e apresenta uma enorme confiança para alguém tão jovem. Não tem receio de arriscar e de cometer erros”.
Deco, antigo internacional português

Registo actual
Selecção: 11 jogos, 1 golo
Competições de clubes da UEFA: 28 jogos, 3 golos
Competições nacionais: 115 jogos, 23 golos

Curiosidades
Benfica
• Em 2013/14, única época em que alinhou pela equipa principal, disputou apenas três jogos, num total de 31 minutos, suficientes para adicionar ao seu palmarés três títulos: campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga.

Mónaco
• Na primeira época no principado ajudou os monegascos a terminar a Ligue 1 no terceiro posto e alcançar os quartos-de-final da UEFA Champions League, contabilizando 45 jogos e dez golos marcados.

• Demorou a marcar o primeiro golo, que aconteceu a 14 de Dezembro de 2014, frente ao Marselha, mas na parte final da época marcou em cinco das últimas sete jornadas do campeonato, incluindo quatro consecutivas.

• Nesta edição da UEFA Champions League, foi decisivo em duas ocasiões, marcando os golos que deram uma vitória e um empate frente a Villarreal (“play-off”) e CSKA Moscovo (fase de grupos), respectivamente.

• Na presente campanha da Ligue 1 marcou à beira do fim o golo que ditou um empate em casa do Paris, partida que permitiu segurar o primeiro lugar isolado e impedir a partilha da liderança com os parisienses em caso de derrota.

Portugal
• Finalista vencido do Campeonato da Europa Sub-21 da UEFA de 2015, onde alinhou nos cinco jogos e marcou um golo, frente à Alemanha, nas meias-finais. Foi duas vezes eleito Melhor em Campo e integrou a Equipa do Torneio.

• Estreou-se num amigável frente a Cabo Verde, ao quarto jogo de Fernando Santos como seleccionador. Daí para a frente, só falhou uma convocatória em 11 possíveis, participando em dois jogos da fase de qualificação do UEFA EURO 2016, que falhou devido a lesão.

• Primeiro golo aconteceu no rescaldo da prova gaulesa, num amigável com Gibraltar, em Setembro de 2016, desafio em que fez duas assistências. Boa prestação valeu dois jogos como totalista na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2018, frente a Suíça e Andorra.

O que talvez não saiba
• Formado no Benfica, onde esteve 12 épocas, a componente física dificultou a sua afirmação, tendo inclusive pensado em desistir. “Entre os 12 e os 17 anos tive pouco tempo de jogo. Era muito pequeno e cheguei a pensar deixar o futebol. Fernando Chalana [antiga glória do Benfica], que me treinou durante um período difícil, foi muito importante para mim”, revelou.

• Entre os ídolos de infância estão duas referências do futebol europeu e mundial: Rui Costa e Zinédine Zidane.

• Médio-ofensivo, um dos motivos que levou à sua saída foi perceber que podia ser aposta para… lateral-esquerdo. “Falei com o treinador e ele disse-me que havia muita gente para a minha posição. Enumerou-me quase todos os jogadores e percebi que estava atrás deles e que não tinha a sua confiança.”

• Adepto fervoroso do clube, escreveu uma carta de despedida onde referiu: “Espero que não seja uma despedida para sempre. No próximo ano voltarei a ser aquilo que sempre fui: adepto do Sport Lisboa e Benfica, e de certeza que quando for a Lisboa vou estar no Estádio da Luz a festejar golos a partir da bancada.”

• Numa entrevista disse “nunca irei representar Sporting ou Porto”, arqui-rivais do Benfica, explicando: “Não é por desrespeito aos clubes, até porque grande parte da minha família é sportinguista, mas simplesmente não me sentiria bem.”

Discurso directo
“Tento jogar futebol exactamente da mesma forma que aprendi quando era miúdo. Claro que agora a responsabilidade é diferente, mas penso que mesmo cientes disso, os jogadores devem jogar com a mesma alegria do que quando éramos apenas nós, uma bola e a rua”.

“Espero voltar a vestir a camisola do Benfica e cumprir um sonho de criança, que é pisar o relvado do Estádio da Luz com ela vestida. Umas das minhas maiores tristezas é não ter ajudado o clube de maneira significativa a conquistar títulos”.

O que ainda pode alcançar
• Com uma utilização cada vez maior, tem tudo para ser uma das caras da equipas das “quinas” nos próximos anos. Após a ausência no EURO 2016, está bem colocado para representar Portugal na Taça das Confederações, este Verão.

• Conquistar um dos principais campeonatos europeus e uma competição europeia é um feito digno de registo, ainda para mais se a prova for a UEFA Champions League. Bernardo Silva integra um Mónaco surpreendente e que pode fazer melhor do que a classe de 2004.

Fonte: UEFA




Deixar uma resposta