Pão 100% português promove produção de cereais em Portugal

Cinquenta mil pães com ingredientes 100% nacionais começam, esta terça feira, a ser vendidos, nos hipermercados Continente, no âmbito de um projeto que junta produtores e investigadores à grande distribuição e que pretende promover a produção de cereais em Portugal.
O projeto teve origem em Elvas e segundo Fernando Carpinteiro Albino, Presidente do Clube Português dos Cereais de Qualidade o objetivo é congregar “toda a fileira”: a produção nacional de trigos moles (que dão origem ao pão), a indústria, que transforma o trigo em farinha, um produtor de pão e um vendedor de pão. Nesta primeira fase a parceria envolve a Cooperativa de Beja e Brinches, a empresa Gérmen Moagem de Cereais e a “Panificadora Marques Filipes”, apoiados pelo Clube de Produtores do Continente, mas em 2017, pretende-se alargar a produção a outros membros do clube.
No arranque deste projeto 25 toneladas de trigo foram transformadas em 20 toneladas de farinha que deram origem a 50 mil pães certificados, feitos com cereais do Alentejo.
Fernando Carpinteiro Albino defende que Portugal tem de voltar a apostar nos cereais porque “não se pode dar ao luxo de importar quase 100% do pão e das massas que consome” e lembra que a quase totalidade do pão consumido em Portugal é fabricado com matérias-primas provenientes do estrangeiro, nomeadamente, França, Alemanha e Canadá.
Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE) em 2015, foram importadas 1.276.000 toneladas de cereais, no valor de 264 milhões de euros, e exportadas 17.000 toneladas (grande parte devido ao arroz), o que equivale a 3,4 milhões de euros. O grau de autoaprovisionamento de cereais em Portugal é de 27%, sendo que o trigo e a cevada são aqueles que mais contribuem para a dependência dos mercados externos.

Fonte: Rádio94FM




Deixar uma resposta