Marrocos aposta na indústria aeronáutica

A indústria aeronáutica de Marrocos está a conquistar o mercado internacional e já conta com mais de uma centena de empresas europeias e americanas, de acordo com os dados fornecidos pelo Governo marroquino. Nos últimos anos, o setor registou um crescimento na ordem dos 25 por cento. A contribuição desta indústria para o aumento PIB e para a criação de emprego é cada vez mais significativa.

O Ministro da Indústria, Comércio e Investimento, Moulay Hafid Elalamy, destaca a importância do setor da aviação.

“É um setor próspero onde os negócios se estão a desenvolver. Não podemos, enquanto país com uma forte vertente de industrialização estar ausentes neste setor. Além disso, os investimentos ocorrem de forma frequente e de uma maneira muito concreta” afirma.

Centenas empresas marcaram presença na Cimeira aeroespacial em Seattle. Marrocos fala de uma oportunidade para mostrar o que o país tem de melhor e de atrair investimento.

O presidente do grupo GIMAS considera que Marrocos pode oferecer “qualidade das competências” o que permite instalar centros de excelência. Hamid Benbrahim EL Andaloussi defende o facto de o país estar perto de importantes bases europeias, também, é uma vantagem: “podemos fazer as entregas, em Toulouse, em 48 horas que é o coração da aviação na Europa.”

O IMA, Instituto das Profissões da Aeronáutica inaugurado em 2011 e localizado perto do aeroporto internacional de Casablanca permite dar uma resposta às exigências das empresas. Mais de 600 pessoas foram formadas aqui antes de entrar no mercado de trabalho.

“Para mim o IMA representa uma experiência única. Permite a uma empresa, que se queira instalar em Marrocos, escolher o tipo de funcionários e pedir ao Instituto para fazer a formação dos mesmos para que possam estar operacionais num curto espaço de tempo, na indústria que pretende desenvolver no país” refere Philippe Hoste diretor-geral da PRECIMETAL.

O Instituto assegura as formações dos trabalhadores do setor aeronáutico e espacial antes e depois de iniciado o contrato de trabalho e a atualização dos conhecimentos.

“Construímos este Instituto em parceria com o governo, os industriais e o Estado. E asseguramos a gestão do mesmo em nome do Estado. Os jovens que aqui entram são escolhidos com o aval das empresas e passam entre seis a oito meses em formação. É um sistema de formação teórico – prático” sublinha EL Andaloussi.

Um sistema que o especialista em cablagem aeronáutica, Matis Aerospace conhece bem. A empresa fundada em 2001 – pela Boeing, Labinal Power Systems e Royal Air Maroco – produz, atualmente, 110 mil cabos e o volume de negócios anual ronda os 60 milhões de euros.

“A Matis Aerospace está a expandir-se como previsto no plano de crescimento aprovado pelos acionistas, com intuito de acompanhar o aumento das despesas da Boeing que está na origem da criação de 400 novos postos de trabalho. A fábrica Matis Aerospace continua a crescer e ocupa hoje 12.800 m2 no parque tecnológico de Nouasser, em Casablanca” afirma o presidente e diretor-geral da Matis, Abdelghani Errahmani

Atrair o investimento estrangeiro continua a ser uma das apostas do país que pretende ser uma base para o desenvolvimento industrial da Europa.

Fonte: Euronews




Deixar uma resposta