Marcelo quer mais justiça e consensos alargados

O novo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa prometeu, no seu discurso de tomada de posse, lutar “por mais justiça social” e pelo “estado social de direito” que alie o público ao privado porque “O poder democrático não pode impedir a “iniciativa privada”.
Marcelo mostra-se preocupado “em particular, com aqueles que a mão invisível apagou, subalternizou ou marginalizou”.
O Presidente da República também referiu que “Sem rigor o risco de regresso ou de perpetuação das crises é dolorosamente maior. Mas por igual, que finanças sãs desacompanhadas de crescimento e emprego podem significar empobrecimento e agravadas injustiças e conflitos sociais”.
Para logo de seguida lembrar que é preciso “cicatrizar feridas” e atingir os “consensos de regime” para uma “Busca de unidade, pacificação, de reforçada coesão nacional”. Com o objetivo de conciliar “crescimento, emprego, justiça social” e “viabilidade financeira”.
Por fim afirmou que um presidente tem de ser “de todos, sem excepção”, “sem promessas fáceis ou programas que se sabe não poder cumprir”.

Fonte: Rádio94FM




Deixar uma resposta