“Jogar à Portugal e tentar surpreender”

Jogadora mais internacional por Portugal no activo, com 106 jogos e 14 golos, a centrocampista Cláudia Neto, de 29 anos – ou CN7, como é habitualmente tratada – vai ser a capitã da primeira selecção portuguesa presente num UEFA Women’s EURO. Desde 2014 a actuar na Suécia ao serviço do Linköping, Cláudia Neto recorda o importante “hat-trick” frente à Finlândia e fala da difícil estreia de Portugal com a Espanha, esta quarta-feira, no Grupo D do EURO Feminino 2017.

Espanha – Portugal: Factos do Women’s EURO Entrevista com Francisco Neto, treinador de Portugal
Sobre ser a capitã na estreia de Portugal num EURO Feminino…

É um orgulho poder ser capitã desta selecção, a primeira a participar no Europeu, deixa-me muito feliz. É um grupo fantástico, somos muito unidas.

Sobre a alcunha de CN7…

Sinto-me confortável com essa alcunha, já estou habituada. É engraçado ouvir CN7 porque sou comparada ao melhor jogador do mundo [Cristiano Ronaldo, CR7] e isso só tem de deixar-me orgulhosa.

Sobre o “hat-trick” à Finlândia e o “play-off com a Roménia…

Cláudia Neto em acção por Portugal no©FPF
O jogo com a Finlândia foi muito especial para mim. A equipa foi fantástica, a perder por 2-0 conseguiu dar a volta e ganhar 3-2. A vitória deu-nos o impulso para continuarmos a sonhar com o Europeu. O confronto com a Roménia vai ficar marcado nas nossas vidas.

Sobre os melhores golos da carreira…

É difícil dizer quais foram os melhores golos no meu percurso na selecção nacional, mas os que marcaram mais, sem dúvida, foram aqueles três contra a Finlândia. E depois o golo contra a República da Irlanda que nos permitiu ir ao “play-off”.

Sobre jogar na Suécia pelo Linköping…

Evoluí muito desde que fui para a Suécia, tanto a nível profissional como pessoal. Já era dotada tecnicamente, mas faltava-me a vertente física e aí evoluí bastante para poder estar à altura das melhores do mundo.

Sobre a estreia no EURO Feminino com a Espanha…

Portugal estreia-se no Grupo D frente à Espanha©Getty Images
Começamos com um jogo muito difícil, pois a Espanha é muito forte e tem jogadoras muito boas tecnicamente e acima da média. A Espanha faz um futebol muito apoiado, gosta de trocar a bola e de cansar o adversário. Penso que vai ser um jogo muito cansativo para nós, vamos correr muito atrás da bola e defender muito, mas também temos as nossas armas e vamos tentar contrariar o jogo delas da melhor maneira possível.

Sobre se Portugal pode surpreender…

Sabemos que somos a equipa com o ranking mais baixo, mas se estamos no Europeu é porque temos qualidade e merecemos lá estar. Vamos ao Europeu para dignificar a nossa camisola e dar o nosso melhor. Queremos jogar à Portugal e vamos tentar surpreender, mas temos os pés bem assentes na terra porque vamos defrontar selecções muito fortes. Espero que esta seja a primeira de muitas presenças de Portugal em fases finais. Estamos a trabalhar para isso, tem sido progressivo.

Sobre os favoritos no EURO Feminino com a Alemanha à cabeça…

Não há equipas imbatíveis. O futebol feminino tem evoluído bastante e há muitas equipas ao mesmo nível, bastante competitivas. Vai ser um Campeonato da Europa muito interessante e competitivo.

Fonte:UEFA




Deixar uma resposta