Fome com comida em orfanatos da Bielorrússia

Uma instituição bielorussa em Minsk para órfãos com deficiência mental está a indignar a população e, com a reportagem original a chegar a outros meios de comunicação europeus, o choque repercute-se.

Quase 100 crianças e jovens adultos foram encontrados no limiar da fome. Porém, sempre foram alimentados.

Uma mulher de 20 anos pesava 11 quilos e meio, outra de 19 tinha menos que 14 quilos, um homem de 27 anos não chegava aos 18 quilos.

Enquanto acamados, a digestão de comida dita normal não se processa pelo que é necessário recorrer a nutrição entérica ou parentérica, ou seja, não oral.

Vários directores de instituições foram já despedidos. Contudo, o cerne do drama parece residir na burocracia, uma vez que, segundo a jornalista que fez a reportagem inicial, há provas documentais de pedidos feitos ao governo no sentido de cuidados mais apropriados, mas que não obtiveram andamento nem resposta cabal.

O escândalo prende-se não só com uma qualidade muito deficitária na gestão deste género de instituições, mas também da atitude generalizada face a crianças com deficiência, não sendo vista como benéfica a terapia adequada e conveniente a cada um dos casos.

Consideradas sem futuro, as crianças eram alimentadas e vigiadas, mas tratadas como plantas e não seres humanos.

Fonte: Euronews




Deixar uma resposta