Especialistas analisam final do EURO Sub-21

Como é que Alemanha e Espanha vão abordar da final do EURO Sub-21, quais os pontos-fortes de ambas e como é que podem explorar pontos fracos do adversário? O UEFA.com falou com os repórteres Phil Röber e Santi Retortillo para analisar as equipas.

Factos e estatísticas do Alemanha – Espanha Tudo o que precisa de saber sobre a final
ESTILO E ABORDAGEM TÁCTICA

Phil Röber, repórter da Alemanha (@UEFAcomPhilipR)
Agressividade a defender; rápida circulação de bola e ataques directos. A equipa de Stefan Kuntz está repleta de jogadores criativos e possui lateris que gostam bastante de subir. No ataque, Davie Selke é a referência e que causa problemas, com especial foco no jogo aéreo.

Inicie sessão para assistir gratuitamente aos resumos Entrar
Já é utilizador do UEFA.com?

Entrar com o Facebook Entrar com o Google+ Entrar com o Windows Entrar com o Yahoo!
Iniciar sessão com o e-mail

Login ou Registar-se
Ainda não é membro?

Junte-se já à família do futebol europeu!
Fique a par de passatempos, competições e muito mais.

Registar Veja o golo vitorioso de Morata quando Espanha e Alemanha se defrontaram em 2013
Santi Retortillo, repórter da Espanha (@UEFAcomSantiR)
Com vários jogadores de cariz ofensivo no “onze”, é preciso alguém para ligar bem a defesa e o ataque, e ainda frustrar os ataques contrários. Marcos Llorente cumpre esta tarefa de forma exemplar. A experiência e qualidade de Héctor Bellerín são outros recursos valiosos.

PORQUE PODE GANHAR

Phil Röber
O moral pode ser um dos factores, pois a Alemanha já passou por mais dificuldades no torneio do que a Espanha, sendo a meia-final o melhor exemplo. A sua força de vontade e determinação em alturas cruciais podem fazer maravilhas.

Saúl Ñíguez já marcou cinco golos no EURO Sub-21©Getty Images
Santi Retortillo
A Espanha tem melhorado de jogo para jogo, inspirada por um trio de meio-campo fantástico que funciona na perfeição. A equipa é compacta e não tem fragilidades gritantes. O facto de ter uma média de três golos por jogo e apenas dois sofridos são um bom cartão de visita.

DEBILIDADES A EXPLORAR

Phil Röber
Por vezes surgem problemas devido aos riscos corridos na fase inicial de construção. Contra a Inglaterra, revelou dificuldades nos lances de bola parada.

Santi Retortillo
Macedónia e Portugal tiveram várias ocasiões de golo, enquanto na meia-final houve um período em que a Itália podia ter-se adiantado no marcador. Frente a um adversário mais forte, a Espanha pode ter problemas.

Fonte: uefa




Deixar uma resposta